quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Dias Correntes


Bem os últimos dois dias têm sido relativamente normais...

No trabalho resolvi adoptar uma estratégia de low profile e ir tentando perceber como é que as coisas funcionam e quem faz o quê, para não pisar os calos de ninguém....

Comigo entraram mais duas pessoas, um rapaz e uma rapariga. O rapaz nunca trabalhou na área e portanto não sabe nada. A rapariga trabalhou 6 anos num outro banco e tem a mania que é chica esperta!

Como eu já tinha experiência saltei logo para o atendimento e ontem a rapariga foi para o meu lado. Epah... mas anda-me a meter cá uns nervos! É que eu estou a falar com o cliente e ela tem a mania de me interromper.... e o pior é que como não conhece os procedimentos e os sistemas acaba por me colocar em posições bastante delicadas. Até aqui eu tenho deixado passar para não ser mal educado mas estou mesmo a ver que vou ter de lhe dar um chega para lá, e sinceramente é algo que não me agrada nada....

Vejamos o que dá....

Depois vem o estagiário bonito ensinar-me a fazer o que eu já sei, e como me sinto mal porque desde que nós chegamos ele passou só a ser criado dos outros, deixei-o achar que me estava a ensinar algo. O pior é que me empatou que tempos e eu tinha feito aquilo em metade do tempo, porque das outras vezes que lá trabalhei era eu sempre que fazia aquilo....

Hoje o rapaz que entrou comigo passou a estar ao meu lado, no entanto fiquei contente porque a rapariga recebeu a indicação que eles os dois deveriam trocar... e ela não ficou nada contente pois perguntou o porquê de eu não sair dali e a resposta foi: ele já sabe o que faz... não pude deixar de ficar contente com o descontentamento dela... sou mauzinho não sou?!

E pronto, não há grandes aventuras interessantes desta vez! Só uma velhota que estava muito preocupada como é que a filha receberia o dinheiro se ela batesse a bota! E que ficou uma meia hora a empatar-me!

Mas até que foi querida disse-me que eu era muito mais simpático que os meus colegas! Os velhotes têm um fraquinho por mim vai-se lá saber porquê.... XD

E aqui está a minha vida dos últimos dias.....

7 comentários:

  1. :)

    Aos poucos, vão te dando o teu devido valor :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que tenhas razão Francisco!

      Mas não acredito que tenha um grande futuro ali!

      Abraço

      Eliminar
  2. já me aconteceu isso! num emprego que tive na PT durante dois meses, uma rapariga entrou ao mesmo tempo que eu mas não tinha experiência profissional e eu tinha, já tinha trabalhado 1 ano como programador e pelo o que percebia, o ensinamento que ela recebem na faculdade dela estava longe de ser tão bom como o meu (alias, a minha faculdade foi considerada a melhor do ano passado para o meu curso).
    mas ela fazia questão de mostrar que as coisas faziam-se sempre assim e assado, até que o meu chefe me meteu a desenvolver uma aplicação sozinha e ela a fazer suporte a outras aplicações. pumba!

    sabe mesmo bem quando assim é ahaha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aí se sabe Aaron! Até parece que ficamos mais quentinhos por dentro!

      No entanto depois começo a sentir-me mal, por estar feliz com a infelicidade dos outros!

      Abraço

      Eliminar
  3. Se essa Senhora (jovem?) te interrompe enquanto estás a atender um cliente, não tem "gabarito" nem para um banco nem para um café. É a regra elementar do atendimento ao público: não interromper nem contradizer um colega quando ele está a falar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não podia estar mais de acordo Horatius! Eu acho que no atendimento muito do trabalho é feito de aparências, de educação e de respeito e o cliente pode não saber expressa-lo mas aprecia estes aspetos... no entanto a jovem tem a mania que é carapau de corrida e depois olha dá bronca....

      Eliminar
    2. MEsmo que o colega esteja a dizer uma grande bacorada (o que acontece), deve ser chamado à atenção quando o cliente já não está a ouvir, e não em frente a este... Mas nem sempre as pessoas têm esta sensibilidade...

      Eliminar