sábado, 27 de julho de 2013

O princípio de uma viagem



Ora cá estou eu...

Há já algum tempo que pensava em escrever um blogue, e hoje pensei que seria um bom dia.

A ideia geral é partilhar aqui as experiências e desabafos desta nova fase da minha vida. Nova fase porque no dia em que fiz 25 anos resolvi que tinha de deixar para trás muitos dos meus medos e enfrentar aquilo que mais me assustava. Mais concretamente a minha homossexualidade.

Eu sei que possivelmente muitos vão achar que isto é mais do mesmo mas aqui ficará mais um testemunho tão diferente e tão igual a tantos outros.

Mas comecemos por falar um pouco de mim!

Eu tenho 25 anos e até ao dia em que os fiz, andava a tentar enganar-me a mim mesmo. Até aí tinha andado a inventar histórias e desculpas para justificar aquilo que mais receava. No percurso fui-me fechando cada vez mais na minha concha, mutilando aos poucos a minha autoestima e isolando-me cada vez mais do mundo.

Achava que ninguém se interessava por mim porque era feio, acreditava que o meu destino era a solidão. Receava iniciar uma relação heterossexual pois não me sentia atraído por mulheres e pensar num relacionamento gay era quase um crime na minha cabeça.

Aos poucos percebi que isso não era um caminho plausível e depois de ter aceite para mim mesmo este facto, no dia do meu 25º aniversário resolvi ir com os poucos amigos que me restaram, jantar e abanar o capacete (algo que não fazia à anos). Era o ponto de viragem.

Quando voltei para casa a minha melhor amiga e eu ficamos à conversa no carro e no meio da conversa eu disse-lhe que havia muita coisa que iria mudar a partir desse dia e a conversa foi-se desenrolando até ela me ter questionado, muito carinhosamente, se uma dessas mudanças seria a aceitação da minha orientação sexual.

Não havia saída possível, não lhe conseguia mentir e confirmei. E ela disse que já se tinha apercebido que à bastante tempo que eu me debatia com algo e que só não tinha abordado o assunto mais cedo porque não me queria pressionar.

E pronto assim começa esta história ...


4 comentários:

  1. o mais difícil é a aceitação, também passei por isso quando tinha praí uns 18 anos só aos 21 é que me aceitei 100%.
    é uma fase complicada mas daqui para a frente será sempre a melhorar :)

    ResponderEliminar
  2. Olá Aaron!

    A mim a aceitação verdade seja dito tomou-me muito tempo, mas pelo menos já começo a sentir alguma sensação de alívio. E espero que daqui para a frente seja bem melhor!

    Cumprimentos

    Rúben

    ResponderEliminar
  3. Assim, chego eu a este canto :)

    gostei :)

    ResponderEliminar