quarta-feira, 31 de julho de 2013

Primeiro dia de trabalho



Pois é lá fui eu para o meu terceiro primeiro dia de trabalho. Sim é verdade que já não é a primeira vez que trabalho nesta empresa...embora possa parecer estranho, é relativamente natural pois da última vez que lá trabalhei foi a prazo, uma vez que ia começar um mestrado diurno..

Eu já me tinha inscrito no mestrado quando me chamaram, e como tinha isenção de propinas resolvi adiar a proposta e eles agora voltaram a chamar-me.

Voltando ao dia de hoje....

O dia de hoje e os próximos dias são só formação. Hoje em concreto foi a formação mais geral sobre os aspecto macro da empresa e questões de segurança no trabalho. Foi um bocado chato para ser franco. Ao fim de algum tempo já não sabia bem como havia de estar de sentado e ainda para mais eram só coisas que teoricamente eram importantes mas na prática têm pouca utilização.

Mas amanhã felizmente já é formação mais prática, o problema é que o conteúdo da formação já me é familiar. Espero que mesmo assim não seja tão secante....

Bem agora, vou tentar escolher uma gravata, um fato e uma camisa para amanhã. Já tenho saudades de andar de calças de ganga e T-Shirt ... Mas o que tem de ser tem muita força...


terça-feira, 30 de julho de 2013

Dia de Praia



Hoje fui á praia com o M e o namorado e a minha melhor amiga R. Foi um dia muito bom e do qual eu vim um bocadinho vermelho.... Só espero que amanhã não se note muito!

A praia estava agradável mas as vistas não foram tão boas como eu esperava, tirando uma ou outra excepção!

A R e eu aproveitamos para conhecer melhor o namorado do M. Ele parece-me ser boa pessoa, e a R, que é mais para a frentex que eu, aproveitou para perguntar como é que eles se haviam conhecido e daí encaminhou a conversa para quais as melhores discotecas gay's e quais os melhores sites para conhecer pessoas e etc. Isto tudo claro para tentar que eu tivesse mais informações sobre este novo mundo tão desconhecido para mim ainda.

As respostas dele seguiram aquilo que eu já imaginava. No mundo gay é tudo muito carnal, há muitos homens que só sabem pensar com a cabecinha pequenina e que mesmo nas discotecas/bares é tudo muito promiscuo e é preciso ter muito cuidado.

Enfim acabei por ficar triste, não por algo disto me ser novo mas porque comecei a pensar que vai ser muito difícil encontrar alguém me fazer companhia. Ainda para mais ali estavam eles os dois ao meu lado na fase in love e eu devo confessar que fiquei com um bocadinho de inveja...

Espero que um dia chegue a minha vez...

A acrescer a isto também me senti mal por ainda não ter contado ao M que eu sou gay. Era para contar hoje mas com o namorado por perto senti-me envergonhado porque não tenho muita confiança com ele. Como se isso fizesse algum mal...

No entanto ou muito engano ou ele já desconfia, já que durante toda esta conversa ele não parou de olhar para mim. O gaydar é tramado....

Amanhã lá vou eu começar mais um dia de trabalho... espero que corra tudo bem...

Ser ou não ser, eis a questão!





Hoje foi um dia bastante normal, acordei escrevi um e-mail por causa da tese de mestrado ouvi música, fui pedir um registo criminal para apresentar no trabalho e fui ao ginásio...

Na quarta-feira começo a trabalhar numa instituição bancária pela terceira vez... sim pela terceira vez  ... como diz o senso comum pode ser que a terceira seja de vez. Devo confessar que estou um bocadinho nervoso e com muito pouca vontade de me levantar cedo, mas o que tem de ser tem muita força. 

Não me interpretem mal, é um trabalho que eu gosto, mas também gosto tanto de me levantar tarde...




Enfim... mudando de assunto, hoje fui ao ginásio (como é normal) e estava com alguma esperança de voltar a ver um rapazito que encontrei lá no sábado passado e com quem acho que tive um special moment. Ele fisicamente não é um Deus grego, mas tem uma carinha de fazer doer e uns olhos que me matam... Muito provavelmente o que se passou não foram mais que ilusões da minha cabeça mas sonhar ainda não paga imposto não é?!!

Então o rapaz sentasse perto de mim enquanto estou a fazer um exercício de biceps e depois começa a sorrir e eu sorrio também, entretanto vou fazer abdominais e ele também foi. As tantas pareceu-me que ele estava a fazer mais abdominais do que era suposto, e pensei: será que esta a fazer tempo?! Eu enquanto resolvi já não fazer passadeira e ir directo para os balneários pode ser que ele me seguisse, mas não seguiu!

E assim ficou a história. Será que foram macaquinhos da minha cabeça ou não? 

Ser ou não ser, eis a questão! 




segunda-feira, 29 de julho de 2013

Músicas - Living in Denial



Bem desta vez vou publicar uma música...

Eu não sei se isto é comum, mas eu tenho a mania de associar determinadas músicas a fases da minha vida e geralmente a letra da música toca-me de alguma forma.

Durante o período que eu me estava a aceitar ouvia esta musica várias vezes, têm uma letra muito bonita mesmo.

E assim resolvi deixa-lá aqui!

domingo, 28 de julho de 2013

Foi assim que aconteceu




Pois é, depois da conversa do carro mal consegui pregar olho o resto da manhã… sim manhã pois eu fui para a cama eram umas 8h.

Era estranho! Apesar de naquela altura já me ter aceite, calhou a meio da conversa da conversa a frase: “Eu sou gay”. Acho que a seguir até me engasguei, aquilo saiu-me sem mais nem menos e como nunca o tinha dito em voz alta. Soou-me muito estranho mesmo.
Mas a R foi fantástica… eu já tinha uma muito boa relação com ela mas depois de termos ultrapassado este patamar acho que a nossa amizade ainda ficou mais forte.

As coisas foram andando e no sábado seguinte fui com a J dar um passeio ao parque das Nações. É um sítio que eu adoro by the way. No final quando a deixei em casa contei-lhe antes dela sair do carro. A resposta foi qualquer coisa como já sabia e sabia que quando aceitasses me irias contar, agora vê-la se me arranjas um rapazinho com um sorriso jeitoso!

Fiquei feliz por me sair aquele peso de cima. Andar a tentar mentir e esconder algo de mim mesmo e acabar por andar também a mentir aos outros acabava por me matar cada vez mais cá dentro.

E pronto, neste momento já são duas pessoas que sabem. No dia em que contei a J era para contar também ao M. O M deve ser o rapaz de quem eu estou mais próximo. Ele também é gay e fiquei um bocadinho triste por ele nunca mo ter dito em conversa. No entanto no dia dos meus anos apareceu com o namorado. Pronto foi a forma como que ele encontrou de me dizer, embora eu já soubesse!

Acho que no fundo ele me fez sentir melhor comigo mesmo, ao mostrar-me que a anormalidade que nos fazem crer do mundo gay é completamente irreal.
Porém ainda não me sinto á vontade para contar à minha família. No fundo acho que eles já sabem mas tenho receio da reação deles.


Vejamos o como se desenrola a história…

sábado, 27 de julho de 2013

O princípio de uma viagem



Ora cá estou eu...

Há já algum tempo que pensava em escrever um blogue, e hoje pensei que seria um bom dia.

A ideia geral é partilhar aqui as experiências e desabafos desta nova fase da minha vida. Nova fase porque no dia em que fiz 25 anos resolvi que tinha de deixar para trás muitos dos meus medos e enfrentar aquilo que mais me assustava. Mais concretamente a minha homossexualidade.

Eu sei que possivelmente muitos vão achar que isto é mais do mesmo mas aqui ficará mais um testemunho tão diferente e tão igual a tantos outros.

Mas comecemos por falar um pouco de mim!

Eu tenho 25 anos e até ao dia em que os fiz, andava a tentar enganar-me a mim mesmo. Até aí tinha andado a inventar histórias e desculpas para justificar aquilo que mais receava. No percurso fui-me fechando cada vez mais na minha concha, mutilando aos poucos a minha autoestima e isolando-me cada vez mais do mundo.

Achava que ninguém se interessava por mim porque era feio, acreditava que o meu destino era a solidão. Receava iniciar uma relação heterossexual pois não me sentia atraído por mulheres e pensar num relacionamento gay era quase um crime na minha cabeça.

Aos poucos percebi que isso não era um caminho plausível e depois de ter aceite para mim mesmo este facto, no dia do meu 25º aniversário resolvi ir com os poucos amigos que me restaram, jantar e abanar o capacete (algo que não fazia à anos). Era o ponto de viragem.

Quando voltei para casa a minha melhor amiga e eu ficamos à conversa no carro e no meio da conversa eu disse-lhe que havia muita coisa que iria mudar a partir desse dia e a conversa foi-se desenrolando até ela me ter questionado, muito carinhosamente, se uma dessas mudanças seria a aceitação da minha orientação sexual.

Não havia saída possível, não lhe conseguia mentir e confirmei. E ela disse que já se tinha apercebido que à bastante tempo que eu me debatia com algo e que só não tinha abordado o assunto mais cedo porque não me queria pressionar.

E pronto assim começa esta história ...